Pular para o conteúdo principal

Nobres Sentimentos

Confesso que estava enfastiado do futebol e de tudo que o cerca. Aqui no Brasil desde cedo somos introduzidos neste universo independente da religião ou classe social é uma das poucas coisas que une em sentimentos ricos e pobres como dizia logo quando começamos a andar um dos primeiros brinquedos de uma criança invariavelmente é uma bola e um dos primeiros incentivos é : "vamos, chuta!" e vamos ouvindo e crescendo com dizeres: "esse menino vai ser um artilheiro, goleador" e continuamos crescendo e o futebol por diversas razões vai ficando em segundo ou terceiro planos o sonho de se tornar jogador de futebol transforma-se em sentimentos algo que guardamos em nosso ser e o que nos resta é torcer por nosso(s) time(s) de coração. 

O estádio tem uma capacidade física que se limita pela quantidade possível de torcedores mas o que mais diminui a quantidade de torcedores é sem dúvida a violência da cidade. 

Outro fato que tem diminuído o interesse de muitos no futebol é a decadência da qualidade do esporte aqui praticado chega a doer ver jogos em que muitos não conseguem ao menos chutar! Sim, aquilo que desde o inicio fazemos parece que desaprenderam ou chegaram a aprender? 

A corrupção tem afastado tantos outros bem como os jogos comprados, as transações mal explicadas, a má administração dos clubes, a CBF, a UEFA e a FIFA dando péssimos exemplos isso sem falar no coronelismo ainda reinante nas federações estaduais. 

Já há um tempo tenho diminuído o meu interesse em acompanhar o futebol e olha que o meu time de coração tem se esmerado na sua administração: reforma de estádio, hotel, dívidas na esfera trabalhista sanadas e recentemente construção do Centro de Treinamento um sonho antigo que está se realizando isso sem falar nos títulos o Paysandú tem dado alegrias mesmo que o time não seja um arrasa-quarteirão como foi aquele das libertadores mesmo com tudo isso eu queria deixar para lá procurar outro esporte ou algo parecido e de repente acordo com a minha esposa falando sobre a queda de um avião de um time de futebol ainda sonolento não entendo direito e penso em ter ouvido falar que morreram "apenas" 6 passageiros ledo engano na verdade era o número de sobreviventes demora a cair a ficha procuro na internet notícias e é uma mais devastadora que a outra. Sim, mais de 70 pessoas mortas de uma hora para outra, sobreviventes em estado grave. Muitas perguntas, poucas ou quase nenhuma resposta. Primeiro a final tinha sido adiada, como se pudesse ter, depois cancelada o adversário da Chapecoense o Atlético Nacional solicita a Conmebol, entidade que organiza a sul-americana, que o título seja entregue a Chapecoense depois no dia e na hora que seria realizada a primeira partida da final simultaneamente nos estádios Arena Condá (Chapecoense) e no Atanasio Girardort (Atlético Nacional) são realizadas homenagens, demonstrações ímpar de solidariedade, compaixão, respeito, reverência tanto dos torcedores colombianos quanto brasileiros. Tenho de registrar também o carinho e respeito das forças armadas colombianas e brasileiras bem como da imprensa dos dois países o amplo sentimento de humanidade em meio a tanta perda e dor me fez repensar e acreditar no futebol  e nas pessoas novamente.  

Crédito: Luis Acosta/AFP


Crédito: Diogo Maçaneiro


Postagens mais visitadas deste blog

CONTOS AMAZÔNICOS

Esse post é para quem curte contos, vou por um conto do livro O REBELDE E OUTROS CONTOS AMAZÔNICOS, de Inglês de Sousa publicado pela editora scipione com Ilustrações de Fernando Vilela e com Organização de Maria Viana. O livro contém os contos: O Rebelde, A Quadrilha de Jacó Patacho, O Donativo Do Capitão Silvestre e o Voluntário. Mas antes de colocar o trecho do livro é melhor ver o que o livro diz a respeito do autor.







Inglês de Sousa:

A publicação de Contos Amazônicos, em 1893, deu-se em tempos de agitação política e de efervescência intelectual. Nesse ano saíram Missal e Broquéis de Cruz e Sousa, títulos que inauguraram novo momento literário brasileiro, o Simbolismo.

Para o crítico Araripe Júnior, "a produção literária (...) foi relativamente abundante, pelo menos os jornais e as revistas andaram muito pejadas de pequenas publicações narrativas variando desde o grotesco até o épico".


José Veríssimo apresentou julgamento bem diferente sobre o movimento literário desse ano tã…

Verde Tempo

Hoje ajudando minha esposa a fazer um trabalho da escola que falava sobre trovadorismo relembrei minhas aulas do ensino médio.  A Cantiga do desencontro reavivou lembranças de algo que não volta mais eramos adolescentes sonhando com a universidade; família, emprego e outras obrigações eram uma imagem distante mas de repente as coisas mudaram será que foi eu que mudei? Não sei mas as passagens da vida sempre deixam um gosto de perda, algo que o vento sopra e leva embora e o coração fica espremido entre uma lágrima e outra.  Tudo passa muito rápido alegrias e tristezas se esbarrando dentro de um tornado e eu dentro dele. Saíamos das aulas correndo atrás dos nossos sonhos mas nem tudo é como pensávamos, surpresas, mudanças de rota.
Lágrimas que escorrem e soluços que abafam...
Cantiga do desencontro
"Ai flores do verde tempo, Cheias de sol e distância... Em que canteiro deixaste O aroma de minha infância?
Ai flores do verde tempo, Alvas luas que semeei... Em que camada de terra Mor…

PALAVRÃO NÃO É PORNOGRAFIA

Texto publicado originalmente no O PASQUIM em dezembro de 1969 nº 25 Como o Texto é dividido em 5 partes vou (ou melhor iria pôr) pôr em 5 post devido a extensão do artigo de Rubem Fonseca. Rubem Fonseca
I – PORNOGRAFIA?
Pornografia, do grego pornographos (porne, prostituta + graphein, escrita) significava, originalmente a descrição de prostitutas e da prostituição em relação à higiene pública. Hoje, segundo os dicionários pornografia é o caráter obsceno de uma publicação ou, ou de uma coleção de pinturas.
Quando se diz que alguma coisa é pornográfica é porque essa coisa descreve ou representa: a) funções sexuais ou funções excretoras; b) mediante, em certos casos, a utilização de nomes vulgares comumente conhecidos como palavrões. O termo pornografia, quando utilizado aqui, terá sempre essa acepção.
Freud, no prefácio do livro Scatologie Rites, de Bourke, diz que é comum serem as pessoas afetadas por qualquer coisa que as relembre inequivocadamente da natureza animal do homem... Eles escon…