Pular para o conteúdo principal

A DIVINA COMÉDIA


Normalmente eu espero terminar um livro para depois pensar em por no blog mais com este livro foi diferente desde de que comecei a ler ele, imaginei em colocar no Carbonno14 ainda mais impulsionado pela curiosidade do site http://www.stelle.com.br/ do jornalista, escritor e etc Helder da Rocha ele "traduziu" O inferno e o Purgatório de uma forma diferente e legal. Pra quem nunca ouviu falar de Dante Alighieri e sua Divina Comédia pode começando pelo wikipédia ou mesmo pelo site que o Helder criou o qual eu já citei o stelle. Até aí tudo bem o engraçado é que baixei as traduções do site li algumas páginas gostei mais acabei deixando um pouco pra escanteio, ocorre que "garimpei" um exemplar na Unama, universidade em que estudo bem interessante e ela está em prosa igual a do Helder. Mas sem a riqueza de detalhes encontrada no site.


Essa outra Divina Comédia a que me refiro é a que foi "traduzida" por Fábio M Alberti, pela editora Nova Cultural e quando por curiosidade achei de jogar no oráculo vulgo google o nome desta criatura eis que encontro um blog (apoiofraterno)já tinha feito isto o que não é nenhuma novidade afinal ser novidade na internet atualmente é muito difícil.


O que me espantou foi encontrar no blog lendo.org uma denúncia sobre plágios envolvendo o insólito Fábio M Alberti se é verdade ou não ainda vou verificar. Mas nunca tinha pensado em que traduções estão sendo creditadas a pessoas que não tiveram participação na tradução. Uma discussão interessante ocorreu no fórum meiapalavra e creio que a autora do post esteje mais interada a Anica. Tem também o site dela o helfire club que parece interessante mais vou visitá-lo com calma depois.
P.S: Como prometido fiquei de verifcar com mais calma essas denúncias sobre plágios e encontrei o blog não gosto de plágio de Denise Bottmann, esse blog possui uma lista extensa de fraudes e tudo leva a crer que os plágio existiram, em determinado post de Denise ela afirma que as Editoras Martin Claret e Nova Cultural pediram desculpas sobre os plágios, pois bem as cópias dessas desculpas ainda não encontrei bem como ainda não consegui entrar em contato com algum tradutor lesado. Semana Passada enviei um e-mail para a Nova Cultural pedindo explicações, até agora nada esse silêncio só colabora com as acusações da Denise, apesar que pra mim ainda faltam provas definitivas. Para mim tudo ainda está muito suspenso.
P.S2: Putz. Pronto vasculhando com mais calma (bem calmo) o não gosto de plágio enfim encontrei as provas no post a madame bovary da l&pm onde se encontra o link em que a L&PM Editores ajuiza medida acautelatória "(Processo Cautelar 001/1.08.0127989-9 – 19ª Vara Cível de Porto Alegre) contra a EDITORA NOVA CULTURAL LTDA., visando ressalvar e prevenir direitos diante das denúncias e evidências em relação a falsificação de traduções." o post da Denise é do dia 13/11/2008 mas assim como eu a maioria dos leitores da Martin Claret e da Nova Cultural jamais pensávamos em algo como esse episódio.
P.S4: Resposta da Editora Nova Cultural "Sr. Bruno,

Agradecemos seu contato.
Informamos que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas para inibir este tipo de situação, a Nova Cultural com o (sic) sua imenso trajeto editorial repudia totalmente estes fatos e as medidas legais estão sendo tomadas para isto.
Para evitar este tipo de situação temos dois canais de compras onde poderá adquirir nossos títulos sem preocupação, nossa loja virtual :
www.clubedolivronovacultural.com.br ou pelo telefone (11) 3038-1438

Atenciosamente,
EDITORA NOVA CULTURAL" 04/12/2008
Como voces podem ver a editora Nova não explicou quais medidas cabíveis está tomando, aproveitou para fazer um merchandising.

Postagens mais visitadas deste blog

CONTOS AMAZÔNICOS

Esse post é para quem curte contos, vou por um conto do livro O REBELDE E OUTROS CONTOS AMAZÔNICOS, de Inglês de Sousa publicado pela editora scipione com Ilustrações de Fernando Vilela e com Organização de Maria Viana. O livro contém os contos: O Rebelde, A Quadrilha de Jacó Patacho, O Donativo Do Capitão Silvestre e o Voluntário. Mas antes de colocar o trecho do livro é melhor ver o que o livro diz a respeito do autor.







Inglês de Sousa:

A publicação de Contos Amazônicos, em 1893, deu-se em tempos de agitação política e de efervescência intelectual. Nesse ano saíram Missal e Broquéis de Cruz e Sousa, títulos que inauguraram novo momento literário brasileiro, o Simbolismo.

Para o crítico Araripe Júnior, "a produção literária (...) foi relativamente abundante, pelo menos os jornais e as revistas andaram muito pejadas de pequenas publicações narrativas variando desde o grotesco até o épico".


José Veríssimo apresentou julgamento bem diferente sobre o movimento literário desse ano tã…

PALAVRÃO NÃO É PORNOGRAFIA

Texto publicado originalmente no O PASQUIM em dezembro de 1969 nº 25 Como o Texto é dividido em 5 partes vou (ou melhor iria pôr) pôr em 5 post devido a extensão do artigo de Rubem Fonseca. Rubem Fonseca
I – PORNOGRAFIA?
Pornografia, do grego pornographos (porne, prostituta + graphein, escrita) significava, originalmente a descrição de prostitutas e da prostituição em relação à higiene pública. Hoje, segundo os dicionários pornografia é o caráter obsceno de uma publicação ou, ou de uma coleção de pinturas.
Quando se diz que alguma coisa é pornográfica é porque essa coisa descreve ou representa: a) funções sexuais ou funções excretoras; b) mediante, em certos casos, a utilização de nomes vulgares comumente conhecidos como palavrões. O termo pornografia, quando utilizado aqui, terá sempre essa acepção.
Freud, no prefácio do livro Scatologie Rites, de Bourke, diz que é comum serem as pessoas afetadas por qualquer coisa que as relembre inequivocadamente da natureza animal do homem... Eles escon…

Verde Tempo

Hoje ajudando minha esposa a fazer um trabalho da escola que falava sobre trovadorismo relembrei minhas aulas do ensino médio.  A Cantiga do desencontro reavivou lembranças de algo que não volta mais eramos adolescentes sonhando com a universidade; família, emprego e outras obrigações eram uma imagem distante mas de repente as coisas mudaram será que foi eu que mudei? Não sei mas as passagens da vida sempre deixam um gosto de perda, algo que o vento sopra e leva embora e o coração fica espremido entre uma lágrima e outra.  Tudo passa muito rápido alegrias e tristezas se esbarrando dentro de um tornado e eu dentro dele. Saíamos das aulas correndo atrás dos nossos sonhos mas nem tudo é como pensávamos, surpresas, mudanças de rota.
Lágrimas que escorrem e soluços que abafam...
Cantiga do desencontro
"Ai flores do verde tempo, Cheias de sol e distância... Em que canteiro deixaste O aroma de minha infância?
Ai flores do verde tempo, Alvas luas que semeei... Em que camada de terra Mor…