Pular para o conteúdo principal

CRÍTICA AMBIENTAL ATRAVÉS DO HUMOR

Por: Bruno Figueiredo

Belém foi sede do 1º Salão de Humor da Amazônia que transcorreu entre os dias 25 a 30 de março de 2008 na Estação das Docas. E trouxe como tema Ecologia e Comunicação. O inédito salão atraiu olhares de diferentes faixas etárias e classes sociais despertando a curiosidade e o interesse pelas diversas facetas do humor.

O evento homenageou o ambientalista Camillo Vianna e o jornalista Raymundo Mário Sobral. A organização do evento teve de escolher entre mais de 800 trabalhos inscritos sendo apenas 120 escolhidos e de acordo com o publicitário, músico e coordenador geral do salão Biratan Porto um dos critérios de escolha era a qualidade de idéia. E é com ele que vamos bater um papo.



Bruno Figueiredo: Qual o papel da tecnologia na vida de um cartunista?



Biratan Porto: A tecnologia possui um papel fundamental, apesar de alguns artistas serem avessos a novidades, mas muitos mesclam esta ferramenta com outras mais tradicionais e há ainda aqueles que já trabalham utilizando unicamente o computador.



B.F: O apoio da mídia neste 1º Salão de Humor foi o esperado?



B.P: O Salão foi bem apoiado pela mídia tanto na divulgação interna quanto na externa. Recebemos equipes de comunicação de diversos estados o que deixa clara a importância de um evento como este.



B.F: Em que o Salão precisa melhorar?



B.P: Esperamos contar com uma continuidade, fazer oficinas ligadas à área da educação mais precisamente com escolas públicas de ensino médio e fazer também uma interação com outras mídias.



B.F: Qual a explicação do cartum atrair um público tão diversificado?



B.P: A imagem é fundamental, a pessoa chega e vê, na maioria dos casos, a idéia explícita além da questão das cores e claro da qualidade do profissional.



Uma prova disso é Luiz Carlos, 13 anos, que pretende ser um cartunista para ele “o Salão está sendo muito interessante”, “mas quando eu for desenhar não irei falar sobre coisas tristes como a devastação irei tratar de algo mais leve” ainda para Luiz os artistas venezuelanos foram os que mais lhe agradaram e chamaram sua atenção. Entretanto houve quem discordasse da estrutura e organização do evento para Ana Paula, 18 anos, a disposição dos trabalhos dificultava a movimentação das pessoas aliado a ausência de um monitor que orientasse as pessoas, acabou por apagar o brilho do evento, garante a estudante.



Existem vários tipos de cartuns:


Os cartuns de editorial, também chamados de political cartoons, são um comentário visual de acontecimentos da atualidade. São mais irônicos e satíricos do que humorísticos, e geralmente são imagens “distorcidas” que tendem a salientar um defeito do alvo do cartum (geralmente, políticos). Influenciam fortemente a opinião pública. Alguns artistas do meio, que ganharam fama com estes trabalhos: William Hogarth, o francês Honoré Daumier, o australiano Patrick Oliphant entre outros. As maiorias dos cartoons de editorial usam metáforas de coisas simples e situações corriqueiras do dia a dia para explicar coisas complicadas do mundo da política.


O Cartum nasceu em 1840, quando o príncipe Alberto lançou uma competição entre
pintores para decorar as paredes das “Houses of Parlament in London” com
frescos. O resultado foi que alguns deles eram de certo modo absurdos, tendo em
conta que os autores tanto quiseram dar-lhes um ar de heroísmo que os deixaram
cair no ridículo.Assim o cartum começou a ser considerado “pictorial parody”, um
desenho humorístico e satírico.

Gag cartuns são cartuns de uma só imagem, geralmente acompanhados de uma “caption” colocada externa ao cartum. É um tipo mais facilmente encontrado em revistas e jornais. Os americanos JamesThurber, Charles Addams e Pedro Arno são alguns dos autores deste tipo de trabalhos.


Os Ilustrativos são cartuns que geralmente são encontrados em publicidade ou em material de aprendizagem. Servem para fazer sobressair e explicar melhor uma idéia é a ilustração. Por vezes, são usadas em publicidade, desenhos e personagens que já existiam.
Graphic novel É um termo usado para identificar um determinado tipo de livros de cartum ou comic book. Nas novelas tem uma história mais longa e geralmente são dirigidas a um publico mais adulto. Podem ser publicadas por um período longo de meses ou anos e republicados mais tarde em compilações.


Mini comic Refere-se a uma revista de cartuns menor que a média, feita a mão e geralmente editada, copiada e distribuída pelo seu criador. É assim com este tipo de edição que alguns cartunistas ganham nome para seguir para outros tipos mais tradicionais.
O que se observa que em questão de humor a Amazônia tem um repertório imenso tanto para provocar gargalhadas quanto para despertar indignações.

Postagens mais visitadas deste blog

CONTOS AMAZÔNICOS

Esse post é para quem curte contos, vou por um conto do livro O REBELDE E OUTROS CONTOS AMAZÔNICOS, de Inglês de Sousa publicado pela editora scipione com Ilustrações de Fernando Vilela e com Organização de Maria Viana. O livro contém os contos: O Rebelde, A Quadrilha de Jacó Patacho, O Donativo Do Capitão Silvestre e o Voluntário. Mas antes de colocar o trecho do livro é melhor ver o que o livro diz a respeito do autor.







Inglês de Sousa:

A publicação de Contos Amazônicos, em 1893, deu-se em tempos de agitação política e de efervescência intelectual. Nesse ano saíram Missal e Broquéis de Cruz e Sousa, títulos que inauguraram novo momento literário brasileiro, o Simbolismo.

Para o crítico Araripe Júnior, "a produção literária (...) foi relativamente abundante, pelo menos os jornais e as revistas andaram muito pejadas de pequenas publicações narrativas variando desde o grotesco até o épico".


José Veríssimo apresentou julgamento bem diferente sobre o movimento literário desse ano tã…

PALAVRÃO NÃO É PORNOGRAFIA

Texto publicado originalmente no O PASQUIM em dezembro de 1969 nº 25 Como o Texto é dividido em 5 partes vou (ou melhor iria pôr) pôr em 5 post devido a extensão do artigo de Rubem Fonseca. Rubem Fonseca
I – PORNOGRAFIA?
Pornografia, do grego pornographos (porne, prostituta + graphein, escrita) significava, originalmente a descrição de prostitutas e da prostituição em relação à higiene pública. Hoje, segundo os dicionários pornografia é o caráter obsceno de uma publicação ou, ou de uma coleção de pinturas.
Quando se diz que alguma coisa é pornográfica é porque essa coisa descreve ou representa: a) funções sexuais ou funções excretoras; b) mediante, em certos casos, a utilização de nomes vulgares comumente conhecidos como palavrões. O termo pornografia, quando utilizado aqui, terá sempre essa acepção.
Freud, no prefácio do livro Scatologie Rites, de Bourke, diz que é comum serem as pessoas afetadas por qualquer coisa que as relembre inequivocadamente da natureza animal do homem... Eles escon…

Verde Tempo

Hoje ajudando minha esposa a fazer um trabalho da escola que falava sobre trovadorismo relembrei minhas aulas do ensino médio.  A Cantiga do desencontro reavivou lembranças de algo que não volta mais eramos adolescentes sonhando com a universidade; família, emprego e outras obrigações eram uma imagem distante mas de repente as coisas mudaram será que foi eu que mudei? Não sei mas as passagens da vida sempre deixam um gosto de perda, algo que o vento sopra e leva embora e o coração fica espremido entre uma lágrima e outra.  Tudo passa muito rápido alegrias e tristezas se esbarrando dentro de um tornado e eu dentro dele. Saíamos das aulas correndo atrás dos nossos sonhos mas nem tudo é como pensávamos, surpresas, mudanças de rota.
Lágrimas que escorrem e soluços que abafam...
Cantiga do desencontro
"Ai flores do verde tempo, Cheias de sol e distância... Em que canteiro deixaste O aroma de minha infância?
Ai flores do verde tempo, Alvas luas que semeei... Em que camada de terra Mor…